SEU MARIDO DEIXA VOCÊ DANÇAR?

Tempo de leitura: 3 minutos

DSC_0052

Olá meus queridos leitores.

Eu quase cai pra trás, mas o fato é que eu realmente ouvi essa pergunta em pleno Sec. XXI, na cidade do Rio de Janeiro, no ano de 2014!!!! Aos 51 anos de idade!!!

E o pior é que eu sei que alguns dos meus leitores vão ler a pergunta com muito menos espanto do que eu. 🙁

Gente, jura que isso ainda existe??? Sério??? Vcs conseguem perceber o quanto uma pergunta dessas me espanta??? Ainda mais se vem de pessoas esclarecidas e independentes… 🙁

As mulheres continuam pedindo autorizações para seus parceiros para fazer o que querem, o que gostam, para viverem da forma que acreditam ser a mais digna e a melhor para si mesmas? E os homens, fazem o mesmo? Eles também pedem autorizações para suas parceiras? Sinceramente? Isso é muito “no sense” pra mim!!!

A pergunta me lembrou uma similar que ouvi há uns 10 anos:

“E se seu marido pedir para que escolha entre ele e a dança, o que vc escolheria?”

Dai eu retruquei (com a mesma cara de espanto de hoje):

–  “Por que ele me pediria algo assim?”

E eu ouvi de volta:

– “Porque ele simplesmente não quer ter uma mulher que se apresente como bailarina de Dança do Ventre.”

Ahhhh, o motivo é esse??? Então é muito fácil de responder!!!! rsss…

– “Olha, se a dificuldade é dele de estar casado com uma bailarina não é ele quem deve se propor a fazer escolhas??? Lógico!!! Ele é que tem que decidir aceitar ou ir embora. Por que eu é que tenho que fazer escolhas para resolver um conflito que não é meu???”

Gostaria de, nos dias de hoje, não precisar, mas já que é preciso, vou explicar. Para mim, é absolutamente compatível estar casada, respeitar e amar meu marido e ser bailarina de qualquer tipo de dança. Minha família é igualmente importante, assim como o meu trabalho, mais precisamente, a minha dança. Preciso de coisas diferentes para me preencher e me fazer feliz: amigos, o amor da minha mãe, do meu marido, dos meus gatos, dos meus sobrinhos, das minhas alunas e preciso de mil coisas para me realizar. Preciso estar envolvida com projetos, com estudos, com a minha casa, com a saúde de quem eu amo. Não tenho que fazer escolha alguma. Não tenho que me obrigar a resolver um problema que não é meu e que não está sendo criado por mim. Por mais importante que a pessoa seja pra mim. E ninguém pode usar o meu amor como forma de me impor uma escolha absolutamente sem sentido. Aliás, quem me ama de verdade, jamais vai tentar me colocar numa situação dessas. Mais do que isso. Quem me conhece pra valer, sabe que vou rir muito ao ouvir um pedido de escolha tão bizarro.

Gente, desde que atingi minha maior idade, conquistei minha independência financeira e me vi capaz de tomar minhas próprias decisões, fazer minhas escolhas e assumir meus riscos, não me lembro de ter pedido uma única autorização a quem quer que seja sobre qualquer assunto. Há muito não existe mais razão para eu me colocar nesse estado de dependência emocional. Aliás, não vejo razão alguma pra ver uma pessoa adulta e responsável, seja ela homem ou mulher, pedindo autorização para fazer uma coisa que goste de fazer e que não seja incompatível com as relações afetivas que estabelece.

JpegTenho um parceiro maravilhoso que me ama, me respeita e sabe do meu amor por ele e pela dança. Nos respeitamos, confiamos um no outro e somos absolutamente livres para tomar nossas decisões. Participamos um da vida do outro e assim, com liberdade, amor e respeito. Seguimos cada vez mais juntos.

O que eu respondi???

No salto?

“Eu nunca pedi ao meu marido, autorização para dançar!” 😉