POR QUE ESTUDAR RITMOS ÁRABES?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Resolvi escrever a respeito da importância de se estudar ritmos árabes porque é bastante comum ter alguma aluna ou alguma colega de dança questionando o assunto.
Além do mais, quando vou falar sobre isso, lembro-me bem da opinião de uma das maiores referências que temos na Dança do Ventre que é a grande mestra egípcia RAQUIA HASSAN. Na opinião dela, quem deve se preocupar com o ritmo que está sendo tocado numa música, é o músico. Ela revela que em nenhum momento se preocupa com o ritmo, demonstrando não valorizar esse tipo de conhecimento na formação de uma boa bailarina de Dança do Ventre.
Na minha opinião, a declaração da Raquia merece, no mínimo, uma pequena reflexão, antes de ser seguida a risca. Raquia é EGÍPCIA. Mais que simplesmente dançar ou ouvir as músicas de seu país, ela está inserida na cultura egípcia desde o seu nascimento. Reconhece facilmente os gêneros musicais por meio de diversos fatores determinantes, tais como, a origem daquela canção, quem a compôs, quem a interpreta, a letra, seu significado, a época em que foi composta e sob qual contexto. Tudo isso está a seu alcance naturalmente e são informações importantíssimas para sabermos sequer se podemos dançar uma determinada música. E se podemos, de que forma, com quais passos, o que vestir e como interpretá-la.
Para quem vem de outra cultura, como é o nosso caso, não nos resta estudar, pesquisar e, nesse contexto, o estudo dos ritmos árabes não é só importante, mas também fundamental. Mais do que estudar ritmo, hoje sinto necessidade de estudar teoria musical e, por isso, venho me aprofundando em conceitos tais como: melodia, harmonia, andamento e muitos outros.
Reconhecer os sons de cada instrumento e entender como eles se harmonizam, como eles “conversam” entre si é outro ponto digno de nota. Não consigo entender como uma bailarina pode identificar perfeitamente um determinado gênero musical sem conhecimento de todo esse conjunto de conceitos. Cada música tem uma estrutura que a caracteriza, que a “nomeia”, que fornece a ela, uma qualidade, uma identidade. Sem esse entendimento, não é possível acertar na hora de dançar.
Por tudo que foi comentado aqui, o estudo dos ritmos árabes para uma bailarina de Dança do Ventre, na minha opinião, não é só importante, como imprescindível. E é apenas um pequeno elemento do que ela precisa estudar em termos de música. Para muitas, é um estudo difícil e árduo. Mas não tem como passar por cima dessa etapa importante do aprendizado se você quiser ser verdadeiramente boa naquilo que você gosta tanto de fazer: dançar Dança do Ventre.
Bjs a todos!
Link do site oficial de Raquia Hassan: http://www.raqiahassan.net/