DORMIR OU NÃO COM ELE NO PRIMEIRO ENCONTRO?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Eu Pensando EditadaQueridos leitores.

Não é incrível, que essa é uma pergunta que está na cabeça de mulheres de todas as idades? Mesmo naquelas com mais experiência?

Sinceramente? Com a forma como o sexo é visto na nossa sociedade, eu não estranho que a pergunta seja recorrente e desperte todo tipo de suposições e questionamentos não só no meio feminino, mas também no masculino.

No entanto, o que me causa muito, mas muito espanto mesmo, é que apesar da mulher ser hoje tão independente e ter conquistado tantos espaços em várias esferas da sociedade, ela ainda continua norteando sua decisão com base no que o homem vai pensar a respeito dela. Um homem que ela acabou de conhecer, ainda por cima!!!

Em todas as vezes que tive oportunidade de discutir o assunto numa roda de amigos, ou assistindo a debates sobre o tema, o assunto acaba caindo no tradicional: “Se eu disser sim, ele pode pensar que sou fácil demais ou uma grande vagabunda. E se eu disser não, ele vai achar que estou fazendo charminho. É uma decisão difícil, a gente não sabe o que fazer.”

Gente, e não dá pra saber mesmo! Pelo menos enquanto continuarmos nos preocupando excessivamente com o olhar do outro. Dessa forma, a decisão não só será difícil, como também será totalmente impossível! 😉

Nessas conversas, eu não me lembro de ter ouvido sequer uma única vez, uma mulher dizer, por exemplo, que dorme ou não, porque ELA se sente à vontade ou não. É impressionante, mas o fato é que a mulher dificilmente está centrada em si mesmo quando o assunto envolve relacionamento afetivo. E no caso específico que envolve se relacionar intimamente (onde, com quem e quando), não seria muito mais óbvio que ela estivesse absoluta e totalmente voltada para os seus próprios desejos, sentimentos e necessidades? Por que se preocupar com que o homem vai pensar a respeito de vc? Isso não seria assunto dele? Isso não estaria mais ligado aos valores (e preconceitos) dele? Questões que, diga-se de passagem, sobre as quais vc não tem o menor controle?

É obvio que ele vai ter uma opinião formada sobre o que vc decidir fazer! Todo mundo tem o seu juízo de valores, forma suas próprias opiniões a todo momento. O que está (ou pelo menos deveria estar) no seu poder, minha querida, é decidir sobre o que ele pensa a seu respeito. Isso sim deverá ser um dos fatores decisivos para vc dar ou não valor a ele! Se ele te julga um vagabunda porque não hesitou em dormir com ele no primeiro encontro, descarte o moço! Ele tem direito a ter os próprios valores e talvez esses valores não se encaixem com os seus. Já pensou nisso? Como vc sabe o que quer e procura um homem que respeite vc e suas decisões, o rapaz lindo, cheiroso e interessante da noite anterior não deve passar de uma boa noite mal dormida, minha amiga!! E nem perca seu tempo em se arrepender! Não sinta vergonha de suas decisões. Nem mesmo das erradas. A gente aprende a se relacionar, se relacionando.

E ainda tem mais. Geralmente só pensamos no direito a decidir quando a resposta é SIM! Mas como eu disse anteriormente, o medo também recai sobre a decisão de NÃO dormir com o moço recém descoberto. Podemos ser tachadas de “frescas”, de “mal resolvidas” e por ai vai. Ora, quer dizer que não podemos dizer não? Mas é lógico que podemos! Podemos e devemos! Devemos dizer quantos “nãos” nós quisermos, desde que esse seja o NOSSO desejo. Se o rapaz não te despertou a vontade de esticar a noite, ou se vc não se sente à vontade de se relacionar com um homem que acabou de conhecer (mesmo que ele te atraia muito) ou seja lá qual for o motivo, por que ir pra cama com ele, meu Deus? Pare com esse medo de ser julgada por pequenos atos, por decisões momentâneas. Estamos voltadas demais pras regras e isso nos distancia totalmente de nós mesmas. Deixamos de olhar para os nossos anseios, para os nossos valores e nos vemos perdidas nos conceitos dos outros.

Por trás de cada decisão (negativa ou positiva), será que não está um certo medo de perder o rapaz? Olha vc de novo pensando no outro! Não há o que temer, se vc nem sabe se ele vale à pena. Como eu disse: o que ele pensa é uma boa dica pra vc saber se vai querer um segundo encontro ou não.

No salto?

Olhe mais pra si mesma. Aprenda a formular suas respostas a partir do que vc sente, pensa e deseja. É lógico que isso está sob judice. E quem não está?