DANÇAR OU NÃO DANÇAR COM OS ALUNOS?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Olá queridos leitores!!!!

É lógico que não existe resposta fechada pra questão que levantei hoje. Acho que tudo depende das circunstâncias, dos objetivos de cada apresentação e tudo mais. Não há regras! Mas no geral eu NÃO danço com minhas alunas por “n” motivos. O principal deles é investir na independência e no estilo próprio do aluno.

Já dancei pra completar o número mínimo de integrantes de um grupo para um concurso, já dancei pra substituir uma aluna e não mudar o desenho da coreografia de última hora, enfim… quando minha ausência traz mais danos do que benefícios, é lógico que entendo que o meu dever é apoiar e ajudar o meu grupo. Mas fora isso, elas pisam invariavelmente sozinhas no palco. É o momento delas!!!

É comum uma professora tomar a decisão de dançar com as alunas porque elas dizem que sozinhas não dão conta de dançar. Quem nunca ouviu esse pedido???? Eu ouço sempre!!!! Mas, na maioria das vezes isso é não é verdade! Quem melhor que o professor pra avaliar a consistência de uma demanda como essa? O professor sabe perfeitamente quando o aluno vai ser capaz de vencer suas dificuldades e inseguranças e quando não vai conseguir fazê-lo a tempo da apresentação. Além do mais, o professor pode e deve propor um trabalho coreográfico que esteja ao alcance da turma, que seja viável. Não importa que seja uma coreografia mais simples. O importante é que seja bem executada.

Investir na independência e dar meios para o aluno desafiar-se a si mesmo, sair da zona de conforto, devem ser vistos como “matéria de sala de aula”, assim como o “oito maia” e a “batida lateral de quadril”.  😉

No vídeo abaixo eu danço com minhas alunas para substituir de última hora uma aluna que adoeceu e não pode dançar. Para assistir, é só clicar na imagem abaixo. 

Beijos e divirtam-se!!! Espero que gostem  😉

veu

 

Banner Sorteio 3 anos