DANÇA DO VENTRE COM AMOR, RESPEITO E COOPERAÇÃO

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Queridos leitores.

Quem me acompanha sabe que toda 2ª feira eu posto alguma reflexão pessoal a respeito  do universo da Dança do Ventre. No entanto, nesta semana eu não consegui escrever, por conta da minha participação na XII FEIRA CULTURAL ÁRABE e de todos os preparativos que tive para viajar, pois a feira acontece em Minas, na minha terrinha, Juiz de Fora.

Eu poderia ter deixado algo programado para ir ao ar no dia certo, mas a correria me roubou a inspiração e toda concentração necessárias para escrever. Peço desculpas e a compreensão de vcs.

Contudo, para compensar a falha, decidi não falar, mas refletir sobre o que o evento me toca e me inspira. Eu já fiz vários posts aqui sobre o assunto. Então, não é novidade pra vcs, o quanto eu admiro e curto a Feira. Não é à toa, gente!!! Os motivos da minha admiração são muitos, mas hoje eu quero falar do sentimento de fazer parte disso tudo.

Já não é a primeira vez que observo os organizadores na correria. O stress é grande, as vezes surgem imprevistos, como em todo lugar. Mas a classe com que tudo se resolve é que faz da Feira Cultural Árabe, um evento realmente especial. Todos se ajudam, não faltam sorrisos, abraços, calor humano. A colaboração vem de todos os lados, e é óbvio que o resultado se reflete nos palcos. O Grupo Nabak é coeso, estuda e mostra emoção e alegria nas danças que realizam. Nós, bailarinas com Selo de Qualidade Nabak, somos acolhidas com todo carinho do mundo e nos acolhemos mutuamente a todo instante. Isso sem mencionar o respeito com o público, com os participantes e expositores. Tudo é tão claro que até o meu irmão que foi nos assistir, sinalizou com as próprias palavras o bom clima que compartilhávamos nos palcos e fora dele. Ele sorria e parecia absorver a felicidade do local.

Queria vir aqui dizer isso pra vcs porque não concordo e nunca concordei com as afirmações de que na Dança do Ventre só existe competição, fofocas e intrigas. Eu fiz e tenho feito, neste meio, muitas amizades. Tenho encontrado muita coisa boa. Ganhei admiradores e admiro muita gente. O mundo da Dança do Ventre, assim como todos os nossos vários mundos serão sempre reflexo do que somos e do que queremos dele. E eu tenho certeza absoluta de que eu não sou a única a querer dar o melhor de mim para essa dança e para as pessoas que cruzam o meu caminho com um sincero sorriso no rosto.

Bjs a todos e até 2ª que vem com mais uma das minhas reflexões… e sem atrasos. 😉

said