CONSULTORIA E PARCERIA NA DANÇA DO VENTRE

Tempo de leitura: 3 minutos

Olá Gente Dançante, tudo bem???

Já estou pra escrever este post há um tempão e decidi  que de hoje não passaria!!!! 😉

Eu quero falar sobre extrema importância de trocarmos conhecimentos com profissionais do mundo árabe, uma vez que lidamos com uma cultura muito distante da nossa e certos códigos e conceitos ficam difíceis de entender se não nos colocarmos abertos as eles.

Um outro ponto importante da parceria e da troca é a disponibilidade do outro em nos conceder o seu tempo e seus conhecimentos e, certas pessoas fazem isso com extrema generosidade. E, sendo assim, eu me sinto na obrigação de agradecer aos profissionais que tive o prazer de encontrar na minha trajetória na dança, porque sem eles, esse caminho seria, com certeza, muito mais árido do que normalmente é.

Sempre que tenho alguma dúvida, que sinto necessidade de fazer algum tipo de debate sobre determinada dança, sobre a cultura árabe de forma geral ou precise de alguma tradução, eu conto com estes profissionais, cujos nomes eu vou citar pela ordem do tempo que nos conhecemos.

Tufic
Tufic Nabak

O primeiro a ser um parceiro e orientador para assuntos libaneses, 😀 😀 foi Tufic Nabak. É ele que faz as traduções de músicas libanesas pra mim, que me fala da sua terra, um pouco da sua vivência, do seu povo e assim, me ajuda a contextualizar as danças do seu país. É um libanês apaixonado e entusiasmado pela sua cultura, pelos seus costumes, respeita imensamente a dança, e isso faz uma diferença enorme na hora de dividir conhecimentos. ♥

Gamal
Gamal Seif

Gamal, grande professor egípcio, tem o dom de “esticar” os ensinamentos passados em sala de aula. Não foi uma nem duas vezes que me orientou via imbox no Facebook, tirando aquelas dúvidas que sempre insistem em bate à nossa porta um tempo depois, quando estamos revendo as anotações feitas durante as aulas presenciais. Ele fala da dança, dos costumes, do figurino, dá dicas super práticas para as apresentações. Enfim, muitas vezes eu pisei no palco, orientada por esse grande profissional. ♥

Khaled Emam
Khaled Emam

Preciso agradecer muito ao Khaled, com quem faço muitas das minhas reflexões sobre o Egito, sua história, suas danças e costumes. Sua parceria tem sido primordial para que eu possa dar mais significado e consistência aos meus estudos, e até mesmo à minha dança. Lógico, o fato de residir no Brasil, mais precisamente, na cidade do Rio de Janeiro, facilita muito o contato e a parceria. Khaled tem prazer em passar conhecimento e sua boa vontade é imensa e incansável. ♥

Assala Ibrahim
Assala Ibrahim

E, por último, não posso deixar de falar da bailarina iraquiana Assala Ibrahim. A única que não conheço pessoalmente e, por isso mesmo, fica clara a sua generosidade impressionante. Estamos sempre trocando ideias sobre o seu povo e a dança Kawliya, enquanto deixa claro o seu mais profundo amor e respeito pelas artes. Assala me surpreendeu com o tamanho da sua disponibilidade. Como disse, não nos conhecemos pessoalmente, mas bastou um pequeno contato meu para que ela se colocasse inteiramente à disposição para me ajudar nos meus estudos e questionamentos. ♥

Gente, eu precisava escrever este post para agradecer. Aqui eu contei a minha experiência com profissionais que são grandes não só no que fazem, mas também naquilo que acreditam. São pessoas que entendem que a sala de aula é apenas um dos muitos momentos e possibilidades de fazer a diferença.

A todos eles, meu mais profundo respeito e agradecimento. E que nossos contatos continuem sendo ricos e generosos. Tenho certeza de que não sou só eu que ganha, mas a dança, a arte e a cultura. Eu realmente acredito nisso!

Meu muito obrigada e até a próxima!!!!

Hummmmmm… SMACK!!!! ♥