A IMPORTÂNCIA DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO-CULTURAL PARA O TURISMO NO LÍBANO

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

O Líbano é uma montanha banhada pelo mar mediterrâneo, fazendo a ligação entre o Oriente e o Ocidente. Antes da guerra, o país foi considerado como o centro turístico do Oriente Médio, sendo que o mesmo atraiu uma cerca de 1.590.000 turistas em 1969.

Desde a antiguidade, vários povos ocuparam o território e deixaram ali monumentos de grande valor arqueológico. O país possui vários atrativos turísticos, entre eles, sítios arqueológicos, ruínas romanas, cidades históricas, castelos, templos, museus, montanhas de cedro, grutas, praias, cachoeiras e outros. Os principais atrativos históricos culturais do Líbano são a capital Beirute, a floresta dos cedros, as ruínas de Baalbeck, o castelo Beit-Eddine, as grutas de Jeíta, Byblos, Anjar, Tripoli, Sidon e Tiro. O país possui ainda bens culturais e naturais que fazem parte da lista do patrimônio mundial.

Antes da guerra entre árabes e israelenses, o país viveu uma relativa calma política e um expressivo crescimento econômico no setor turístico, a ponto de ficar conhecido como a ´´Suíça do Oriente Médio“. Até a guerra civil, o Líbano, e mais especificamente Beirute, foi uma das mais elegantes e sofisticadas destinações turísticas do mundo. Tal situação contudo foi revertida devido às guerras que transformaram o país no maior campo de conflitos da região durante 17 anos, entre 1973 e 1990.

A reconstrução do país vem sendo feita lentamente com a ajuda ocidental, destacando-se principalmente o centro histórico da capital Beirute. Renascido das cinzas, o Líbano tornou-se um novo país, começando a retomar o papel de centro turístico e financeiro da região. A antiga ´´Suíça do Oriente“encantou a todos aqueles que ali chegaram, e atualmente com o fim das guerras, o país voltou a receber turistas do mundo inteiro.

por Tufic Nabak, nosso colaborador.