ROUPAS DE DANÇA DO VENTRE. A ARTE DE ESCOLHER O FIGURINO PERFEITO.

Tempo de leitura: 22 minutos

Roupas de Dança do Ventre. Quem nunca se deslumbrou com elas???? 😉

Isso tanto é verdade, que muitas de nós chegaram ao mundo da dança, atraídas justamente pelo glamour, o brilho e a sensualidade de muitos figurinos exibidos nos palcos.

Mas mais do que belos, brilhantes e sensuais, esse grande objeto de desejo e fascínio vem se transformando com o passar dos anos e podem cumprir vários papéis dentro da dança.

Com tantas opções de roupas de Dança do Ventre, algumas perguntas passaram a ser inevitáveis, como por exemplo:

Os ateliers especializados em roupas de Dança do Ventre fazem pesquisas, acompanham tendências, buscam se reinventar a cada coleção.

O resultado é uma infinidade de opções incríveis e, por isso, antes de ir às compras, o ideal é saber exatamente o que você está procurando.

Como não existe limite pra arte, muito menos fórmulas prontas, neste artigo, eu vou trazer pra você, algumas considerações baseadas na minha experiência como professora e bailarina.

O objetivo é ajudá-la a escolher as suas roupas de Dança do Ventre, a partir das várias possibilidades de show que você pode criar.

Pretendo fornecer parâmetros para que você mesma defina o que melhor se encaixa na sua realidade.

Mas antes de desenvolver este artigo, preciso dizer que preparei duas surpresas pra você. 😉

Isso mesmo! Minhas leitoras fiéis sabem que eu adoro oferecer presentes nos meus artigos. Então, fique ligada, aproveite cada tópico desse texto que, logo, logo você vai descobrir as surpresas. 😉

Como Escolher as Roupas de Dança do Ventre Certas Para Cada Show?

Hanna Roupas de Dança do Ventre

Vivemos uma era de abundância. Tanto no sentido de opções de roupas de Dança do Ventre, como em termos de informações.

Isso é ótimo! Mas não é a única verdade possível.

Abundância, quando não bem utilizada, confunde. Por isso, quanto mais fartura temos, mais precisamos nos aprofundar nos conhecimentos.

Ter foco se torna imprescindível. Pelo menos é nisso em que eu acredito.

Por isso, para não ficarmos perdidas no genérico, a primeira coisa que eu gostaria de detalhar aqui com você, é a questão do show em si.

Qual a Dança que Você vai Fazer?

Reconhecer o gênero musical que você vai dançar é super importante para a correta escolha do figurino.

Não basta, na minha opinião, saber distinguir apenas o que é folclórico do que não é.

É preciso entender a música que você vai dançar e procurar identificar o que se deseja criar a partir dela:

  • Você quer ser fiel ao estilo? Isto é, quer dançar de forma bem típica, característica? Entender como uma bailarina árabe dançaria genuinamente aquela música?

Ou… pelo contrário.

  • Você quer dançar livremente, criando sua própria leitura da música e da dança? Quer utilizar o máximo de licença poética para criar o efeito desejado em cena?

 

Cristtiano Ferreira Roupas de Dança do Ventre

 

Essas questões podem influenciar na sua decisão quanto à correta escolha das suas roupas de Dança do Ventre.

Isto é, se o seu desejo é ser o mais fiel possível às raízes daquilo que você vai dançar, será necessária uma boa pesquisa para identificar o figurino mais adequado. Principalmente no que diz respeito ao Folclore Árabe.

Do contrário, você corre o risco de cometer erros básicos. E isso pode se refletir também, na escolha das suas roupas de Dança do Ventre.

Entendendo aqui, Dança do Ventre, num sentido bem amplo, tá? Não só a dança show, mas também as danças folclóricas, as danças populares e as fusões.

Mas continuando, por outro lado, você pode escolher fazer uma apresentação sem se preocupar tanto com o contexto cultural da dança e da música escolhida.

Você pode querer investir numa criação própria. Isto é, passar para o público a forma particular com que você se relaciona com uma determinada canção.

Nesse caso, quem sabe um figurino bem pensado, de cara, já não te auxilie nessa proposta?! Isto é, numa melhor comunicação entre você e o seu público. 😉

A cor, o estilo, o modelo das roupas de Dança do Ventre podem ser determinantes nesse processo de decisão. E você sabendo definir isso muito bem, meio caminho já terá sido percorrido ainda no atelier de costura. 😉

Apresentação Solo

cropped-IMG_0375-2.jpg
Nilza Leão – Figurino Egípcio

Quando vamos dançar sozinhas, a coisa tende a ficar mais fácil, mais simples de se definir.

Se você já resolveu o primeiro ponto, isto é, o tipo de dança que pretende fazer, o próximo passo é escolher aquilo que mais gosta, o que lhe cai melhor e o que lhe parece mais confortável.

Eu acredito que a bailarina deva se sentir plena na hora da sua apresentação. E essa plenitude passa por vários aspectos. E no que diz respeito ao figurino, acho importante ressaltar:

  1. O Conforto – Para não impedir os movimentos e também, não machucar a bailarina;
  2. A Segurança – Para que o top e cinturão não abram ou a saia não caia em cena;
  3. O Bom Acabamento – Para que os bordados não se desfaçam durante a apresentação;
  4. Adequação da Matéria-Prima – Para que o figurino tenha um bom caimento e valorize os movimentos da bailarina durante a dança.

Entrar em cena com um figurino que não nos deixa livre para fazer o que precisamos fazer, acredite. É desesperador.

As roupas de Dança do Ventre no geral, precisam ser bem desenhadas, bem cortadas e bem adaptadas ao biotipo da bailarina, para que elas possam funcionar durante toda a sua apresentação.

Imagine que a bailarina vai ser vista de diversos ângulos, executando todo tipo de movimento, sob o olhar atento do público. O figurino tem que contar a favor da sua dona. Tem que ser um aliado fiel e resistente para que tudo brilhe até o último aplauso.

Então, você que é solista, fique atenta a todos os detalhes do seu show. E pense nas suas roupas de Dança do Ventre não só sob o ponto de vista estético. Mas também, sob o ponto de vista técnico, isto é: em plena sintonia com os seus movimentos, com as suas expressões e com a imagem que você deseja passar.

Apresentação em Grupo

Eln Ghazy Dance Troupe
Eln Ghazy Dance Troupe

Na  minha opinião, o que está em jogo numa apresentação em grupo é o conjunto acima de tudo.

E como coreógrafa e diretora artística, muitas vezes, eu tive que deixar isso muito claro paras as minhas alunas.

Não importa se você acha que verde não lhe cai bem ou se rosa não é sua cor preferida. Não importa se você prefere um figurino justo ou rodado, moderno ou clássico.

A função das roupas de Dança do do Ventre, nesse caso, é criar um conjunto. É atender a um determinado humor. É cumprir as expectativas do responsável pela criação artística daquela apresentação.

Nesse cenário, nem sempre é possível negociar.

Cada bailarina do elenco deve ser madura o suficiente para entender que está emprestando seu corpo, seu rosto e sua expressão, para um propósito muito maior que e o efeito cênico criado por todas.

Isto é, você não está mais sozinha. Agora, você faz parte de um time. E é esse time, como um todo, que tem que brilhar.

Interesses pessoais, muitas vezes, precisam ficar em segundo plano.

Shows em Ambientes Pequenos

Nilza Roupas de Dança do Ventre

Quando o público está muito próximo às bailarinas, suas roupas de Dança do Ventre poderão ser apreciadas de perto e em detalhes.

Pra mim, neste tipo de show, mais intimista, funciona muito bem até mesmo aquele bordado meticuloso, com peças pequenas, delicadas e que fazem toda diferença quando se olha de perto.

Detalhes grosseiros na costura, um figurino mal acabado ou mal conservado, serão facilmente percebidos. E o mesmo se aplica aos acessórios.

Por essa razão, eu sempre reservo meus melhores figurinos para esse tipo de show e faço uma vistoria meticulosa nas minhas roupas de Dança do Ventre, dias antes de entrar em cena.

Show em Teatros e Grandes Ambientes

Dança da Tunísia
Dança da Tunísia

Não é porque o público está longe que você não vai se apresentar com um figurino decente, né? Não se trata disso.

Mas, sem, dúvida alguma, dependendo da iluminação, do efeito cênico pretendido e da distância do público (principalmente as primeiras filas) pouco importa se seu figurino é ricamente bordado ou não.

Bom… essa é a minha opinião.

Eu já vi figurinos belíssimos morrerem em cena porque a sua beleza estava em detalhes muito pequenos e o material usado no bordado não refletia suficientemente a luz.

E foi por isso, que eu passei a utilizar o conceito de “figurino cênico” nas minhas produções artísticas, tanto em solos, quanto na apresentação em grupo das minhas alunas. Eu explico.

A roupas de Dança do Ventre voltadas primordialmente para uma finalidade cênica, deverão atender, pra mim, aos seguintes critérios mínimos:

  • Serem bem acabadas, de modo a oferecerem qualidade, conforto e segurança às bailarinas em cena;
  • Serem obrigatoriamente bordadas com materiais que reflitam muita luz, tais como os canutilhos, pedras médias a grandes, paetês e lantejoulas holográficas. Essas últimas têm efeito de strass à longa distância;
  • Possuírem um baixo custo, quando oferecerem uma limitação na sua utilização. Isto se aplica àqueles figurinos que são belíssimos quando apreciados à longa distância, mas que são pobres em detalhes quando vistos de perto.

Por várias vezes minhas turmas optaram por esse tipo de figurino, principalmente quando não havia real interesse de investir num figurino mais caro, uma vez que não ser tratavam de roupas de Dança do Ventre exclusivas. Isto é, várias colegas teriam a mesma roupa, todas da mesma cor.

Não estou dizendo aqui, que figurinos ricamente bordados não funcionam nos grandes palcos, tá? Lógico que funcionam! Depende do material que for utilizado na sua confecção.

Apenas quero deixar aqui, outra opção de se fazer algo mais em conta, com qualidade e efeitos dignos de uma grande apresentação. 😉

Qual o Figurino Vai Ser Mais Adequado Para o Impacto Que Se Pretende Causar?

Rafaela Alves (Juiz de Fora - MG)
Rafaela Alves (Juiz de Fora – MG)

Arrisco dizer que quando falamos em causar impacto durante uma apresentação de Dança do Ventre, a primeira imagem que vem à cabeça é a da bailarina surpreendendo o público com algum movimento inesperado.

Inclusive, existem muitos cursos no mercado com a proposta de ensinar os ditos “movimentos impactantes“. Muito legal essa ideia.

No entanto,  não é exatamente disso que estou falando aqui.

Eu me refiro à impressão e ao sentimento que a bailarina deseja causar no seu público.

Em que estado de ânimo ela encontrou a plateia e em que estado de ânimo ela deseja deixá-la, ao final da sua apresentação.

Acredito que, toda bailarina tem potencial pra conduzir o seu público como um maestro conduz os seus músicos. Basta que esteja consciente do seu propósito e use alguns artifícios para isso.

Neste artigo eu vou discutir dois recursos bem simples de serem colocados em prática:

  • Usar o senso comum e
  • Usar a psicologia das cores.

 

Usar o Senso Comum

Gisele Roupas de Dança do Ventre
Mahira Safie (Rio de Janeiro – RJ)

Todos nós somos dotados de várias ideias pré-concebidas e utilizá-las nas apresentações de dança me parece ser um dos caminhos mais fáceis, práticos e rápidos de alcançar os nossos objetivos. Por exemplo:

O romantismo está muito associado a sons suaves, a movimentos lentos, às expressões de contemplação.

É comumente um conceito que nos remete ao passado, a uma época de mais delicadeza, com predomínio do sonho sobre a realidade.

E quando o assunto é figurino, as roupas de Dança do Ventre também podem nos trazer esses conceitos.

Por exemplo, um traje esvoaçante, com tecidos e bordados delicados, mostrando certo recato, tendem a despertar e potencializar o sentimento de romantismo na plateia.

Isso não significa dizer que você, uma artista, não possa quebrar esses paradigmas e usar outros conceitos (como escuro, pesado e frio) para despertar o mesmo sentimento de romantismo. Lógico que pode!

Só vai depender da sua habilidade para unir conceitos normalmente antagônicos, à mensagem que deseja passar.

Sendo assim, é provável que você tenha mais trabalho para transmitir a mensagem correta. Mas nada lhe impede de criar por diferentes caminhos. A arte nos propicia isso.

Optar pelo senso comum é apenas o caminho mais fácil.

Usar a Psicologia das Cores

Está amplamente comprovado que as cores são eficientes recursos para despertar emoções.

No nosso dia a dia, utilizamos as cores para decidir o que comprar, o que vestir, às vezes até o que comer.

Logo, conhecer um pouco a respeito de como as cores influenciam as pessoas pode ser muito útil na hora de montar o seu espetáculo inteiro ou até mesmo uma única apresentação.

Sabendo disso, acredito que vale muito à pena entender melhor a influência das cores sobre nossas emoções, para utilizar os mesmos conceitos na hora de escolher as nossas roupas de Dança do Ventre. Por que não???  😉

Veja alguns exemplos logo aqui abaixo:

Cores 1 - roupas de dança do ventre

Cores 2 - roupas de dança do ventre

Cores 3 - roupas de dança do ventre

Qual modelo, cor ou estilo fica melhor em mim?

Rejane Roupas de Dança do Ventre

 

Além dos aspectos mencionados acima, que podem interferir na escolha correta do seu figurino, é importante se pensar na adequação daqueles detalhes, ao biotipo e, quando possível, à personalidade da bailarina.

Eu digo “quando possível” porque existem situações, como já mencionei neste artigo, nas quais o mais importante é o conjunto da obra e não os aspectos individuais.

No entanto, como cada bailarina do grupo precisa se sentir confortável e segura em cena, o aspecto individual não pode ser negligenciado totalmente. Do contrário, o grupo não funciona.

Nesse caso, a palavra de ordem pra mim é equilíbrio. Equilíbrio entre o individual e o coletivo.

Você, com certeza, já tem uma ideia do que combina mais com o seu jeito e, portanto, o que lhe cai melhor.

Mas tome cuidado para não ser crítica demais com a sua aparência, ao ponto de não lhe permitir novas experiências.

Muitas vezes estamos presas em modelos de beleza que não correspondem à realidade e, por isso, nada têm a acrescentar nas nossas vidas.

Por isso, seja generosa consigo mesma e escolha suas roupas de Dança do Ventre com sabedoria.

Para isso, que tal observarmos algumas dicas?

Vestido ou Duas Peças?

Elaine Roupas de Dança do Ventre
Elaine Rollemberg – Rio de Janeiro (RJ)

Por mais bonito e elegante que seja o traje, tem muita gente que torce o nariz quando vê uma bailarina dançando com uma peça única.

O nosso meio está tão acostumado com o “padrão duas peças” que muitas bailarinas não admitem outra possibilidade de figurino.

Tanto que criam uma série de regras sem muito sentido para o uso dos glamourosos vestidos bordados.

Mas o fato é que não existe muita regra quanto ao uso do vestido, em se tratando de Dança do Ventre num sentido mais restrito, isto é, a dança show.

Há muito os vestidos foram incorporados na Dança do Ventre porque, a depender da época e do local, não se admite bailarinas (principalmente as bailarinas árabes) dançando com barriga a mostra.

Lembre-se que as roupas de Dança do Ventre de duas peças, que tanto conhecemos hoje, não foi uma proposta genuinamente árabe.

Portanto, se ele lhe cai bem, se valoriza o seu corpo, a sua presença em cena, os seus movimentos… querida, nenhum impedimento. Se joga!!! 😉

Eu sou super fã dos vestidos, embora devo confessar que tenho bem menos do que eu gostaria.

Vestidos são extremamente elegantes, oferecem mais áreas para serem bordadas e podem ser tão ou mais sensuais do que as roupas de duas peças.

Portanto, escolha o que mais lhe agrada e veja no vestido, uma ótima alternativa para você variar as suas roupas de Dança do Ventre e surpreender ainda mais o seu público cativo.

Figurinos Ousados

Onça Roupas de Dança do Ventre

 

Na minha opinião, os figurinos mega decotados podem ficar lindos em cena, quando a bailarina sabe utilizá-lo de forma a valorizar sua dança e sua imagem.

Por isso, não gosto de fazer o discurso nem do “contra” e nem do “a favor”. Tudo depende.

Se o suas roupas de Dança do Ventre são ousadas, lhe caem bem e valorizam o que você tem de melhor, saiba usá-las com dignidade e se jogue! 😉

Contudo, quem não se sente à vontade em expor muito o próprio corpo, não pense que sensualidade só está presente em trajes mínimos, decotados e transparentes.

Sensualidade, acima de tudo, é uma questão de atitude. Não importa o quanto do seu colo ou das suas pernas estejam à mostra. Nunca se esqueça disso!

Tamanho do Top e do Cinturão

Grife Crys
Grife Crys

Eu, no que diz respeito ao Top, particularmente acho que quanto mais área pra ser bordada, melhor. Mais rico tende a ficar o seu figurino.

Os ateliers, de modo geral, sabem que um ou dois tamanhos acima do manequim da bailarina tendem  a ser a medida  ideal para a parte superior das roupas de Dança do Ventre.

O top maior tende a valorizar e modelar os seios. Mas isso não quer dizer que o Top não possa ser decotado. São conceitos diferentes e que podem estar em perfeita harmonia com o conforto e com a segurança que o figurino pode e deve oferecer à bailarina.

Quanto ao cinturão, acho importante que ele fique na medida certa do seu quadril, cobrindo por completo o cós da saia que está por baixo.

Observe se ele não está apertado demais, deformando o seu corpo ao criar dobras no seus quadris. Por outro lado, ele também não pode ficar muito solto, ao ponto de dançar mais do que você.  😉

Saias Justas ou Rodadas? Curtas ou Longas?

Nadja Roupas de Dança do Ventre

A arte é libertadora! Ela nos permite criação e inovação em todos os sentidos.

E isso se reflete também nas roupas de Dança do Ventre, abrindo um leque infinito de possibilidades.

Muitas bailarinas, incluindo as de nacionalidade árabe, abusam dos figurinos curtos e mega justos. E muitas vezes, é uma questão de modernidade e ousadia.

Geralmente os figurinos mais justos, com corte reto e as saias mais curtas, dão exatamente esse aspecto mais atual. Contudo, eu prefiro não fechar muito essa questão.

Acho que o mais importante é você ver o modelo que mais valoriza o seu corpo. Aquele que mais tem a ver com a sua proposta de apresentação, aliando o modelo da saia com outros elementos.

Tudo conta. Cor, tipo de bordados, detalhes e tecidos. Dessa forma, faça suas escolhas e acerte em cheio na mensagem que você quer passar enquanto dança.

Comprimento das Saias Longas

Samara Roupas de Dança do Ventre

Muitas bailarinas têm verdeiro pânico de pisarem nas sua saias e, por isso, acabam deixando o comprimento das suas roupas de Dança do Ventre curto demais. Geralmente na altura dos tornozelos.

Eu, particularmente gosto da saia tocando o chão quando não estou na ponta dos pés. Assim, fica elegante e confortável ao mesmo tempo.

Além do mais, é preciso entender que uma coisa é como o figurino se comporta quando você está parada. Outra coisa é quando você está em movimento e, principalmente, na meia ponta.

Outro fator importante é que, dependendo do seu biotipo, sua saia deve ser mais comprida na parte de trás para não ficar curta e desalinhada no seu corpo. Já pensou nisso? 😉

O fato é que não tem mistério não. Na hora de experimentar o seu traje, antes de comprá-lo ou de finalizá-lo, esboce alguns movimentos, desloque-se na meia ponta e, depois, decida sobre o comprimento que mais lhe deixa bem vestida e confortável ao mesmo tempo.

Saias curtas demais ou longas demais, com toda certeza, vão comprometer o seu visual e, às vezes, até mesmo a sua dança. Por isso, outra boa dica é treinar! Experimente. Habitue-se com o comprimento adequado e seja feliz! 😉

Bom… agora que falamos bastante sobre os figurinos, e eu procurei abordar os pontos mais comuns de dúvidas entre as bailarinas, eu pensei em presentear você com dois conteúdos bem legais!!!

O primeiro é uma vídeo-aula que eu ofereço somente para as pessoas que estão cadastradas comigo.

Essa aula eu ministrei na 1a turma do CAP – Curso de Aperfeiçoamento Profissional promovido pelo Sindicato dos Profissionais de Dança do Rio de Janeiro, intitulada “ADEQUAÇÃO DO FIGURINO À PERFORMANCE”.

Se você ainda não é cadastrada na minha lista, pode fazer o cadastro agora mesmo, clicando na imagem abaixo. Após a confirmação do seu cadastro, você terá acesso imediato à aula.

A confirmação se faz necessária, por ser um item de segurança tanto para você quanto pra mim.

Então, dependendo do tipo de e-mail que você usa, verifique sua caixa de SPAM,  de PROMOÇÕES, e não deixe de FAVORITAR ou meu e-mail. Assim, você terá certeza de que vai receber o acesso gratuito a sua aula. 😉

Clique na imagem abaixo e cadastre-se para assistir.

Adequando o Figurino à Performance

Slide1

Mas não para por ai.

Eu convidei alguns Ateliês maravilhosos, especialistas em Roupas de Dança do Ventre, para responder três perguntas bem simples sobre os seus trabalhos e, por fim, dar dicas super legais sobre como cuidar dos seus figurinos.

Acho que esta pequena entrevista com cada um deles vai dar também a você, a oportunidade de conhecer mais sobre o trabalho desses profissionais incríveis que realizam nossos sonhos com suas “criações baphônicas”!!! 😉

Eu resumi todo esse material num infográfico que está logo aqui abaixo. Mas, se você quiser, pode baixá-lo gratuitamente e assim, consultar sempre que quiser.

Para isso, como eu já disse, por questões de segurança, você deve cadastrar e confirmar o seu e-mail clicando no próprio infográfico ou em um dos botões abaixo.

Botão Info Roupas de Dança do Ventre

Infográfico Roupas de Dança do Ventre

Botão Info Roupas de Dança do Ventre

Bom, para finalizar, eu quero agradecer a participação desses profissionais dos sonhos que reservaram um pouco do seu tempo tão corrido para generosamente contribuir com este post. Valeu demais Atelier Cristtiano Ferreira, Atelier Rejane Mesquita, Grife Crys e Samara El Said Costumes !!!

Foi um prazer enorme receber vocês aqui. Vocês contribuíram muito e eu fiquei muito feliz por terem aceitado o meu convite. A vocês, todo o meu carinho!!!

E eu espero que você, leitora querida, tenha gostado deste artigo, que foi preparado com muito cuidado, procurando ser o mais completo possível.

Não se esqueça de deixar o seu comentário abaixo. Tire suas dúvidas, sugira novos temas, participe!!! Sua opinião é muito importante pra mim e vai me ajudar a escrever novos posts pra você. 

Um grande beijo e até o próximo artigo!!!!  😉

Kisses

 

 

  • Ivone

    Gostaria de uma roupa super sensual nos tons de preto com dourado

    • Oi flor. vc deve procurar um atelier especializado. No artigo tem 4 indicações super confiáveis. Bjus e sucesso!